Pular para o conteúdo principal

Um dia para refletir


Sheyla Dutra, Coordenadora do Projeto FADA de Ribeirão Preto.

Um dia para refletir
De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), aproximadamente 10% da população mundial possui algum tipo de deficiência.  Diante disso, em 1992, a ONU instituiu o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que passou a ser comemorado todo dia 03 de dezembro. Com a criação dessa data, a ONU tinha como objetivo principal conscientizar a comunidade mundial e promover uma maior compreensão dos assuntos concernentes à pessoa com deficiência para mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e da equiparação de oportunidades. Ninguém aqui está falando de privilégios e benefícios e, sim, de respeito ao cidadão pleno que todos somos.
Um dos assuntos mais importantes a serem discutidos é a educação, e principalmente, a inclusão de alunos com qualquer tipo de deficiência. Sim, porque esta população, apesar de ter seus direitos garantidos por lei, ainda sofre preconceito no momento da matrícula e, ainda pior, no decorrer do ano letivo, dentro de sala de aula.
Há estabelecimentos que, mesmo com a garantia da lei e pena de multa e reclusão, ainda se acham no direito de escolher seus alunos, recusando matricular por conta da deficiência. O Censo 2010 estima que 24,5% da população nacional tenha algum tipo de deficiência, ou seja, uma grande parcela.
O número de matrículas sobe a cada ano, segundo a SECADI (Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão). Dados do MEC na educação básica registram um aumento significativo nos números da educação inclusiva no decênio 2000-2010, de 28% para 69% dos alunos, antes fora da escola ou em classes especiais, agora em classes regulares da rede pública de ensino no país. Isso se deve não somente à Constituição de 1988, mas também por força da Convenção da ONU (na qual o Brasil é signatário), bem como da atuação das entidades da sociedade civil organizada.
Também sobe o índice no ensino superior, o que comprova a importância da inclusão já em tenra idade, ainda no ensino infantil. A orientação geral é que os pais estejam atentos na hora de escolher a escola ideal para seus filhos e acompanhem de perto todas as etapas dos processos de aprendizagem, pois, independente da condição da criança, todas elas têm que estar matriculas em uma escola.

Fonte: Eduarda Manzoni

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PADRE EZEQUIEL LANÇA NOVO LIVRO NA BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO

PADRE EZEQUIEL LANÇA NOVO LIVRO NA BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULOEU MAIS FELIZ - Reflexões para o Despertar de uma Vida Melhor (Paulinas) – é o segundo livro lançado pelo Padre Ezequiel Dal Pozzo. A obra aborda temas da vida cotidiana que ajudam as pessoas a refletirem e, consequentemente, viverem melhor. O ser humano é uma tarefa inacabada e suas ações anseiam sempre pela felicidade. O jeito como encaramos a vida e enfrentamos aquilo que nos acontece é que nos conduz a vivermos uma vida melhor. Esse livro ajuda a compreender de forma simples vários temas que propõem reflexão sobre a vida em vários aspectos, em nosso tempo. Diferente de outras obras, esta quer trazer a você textos curtos com temas diversos, que não exigem seguir uma sequência de leitura, onde cada leitor pode desfrutar de pequenos intervalos de tempo ou não, para se abastecer deste conteúdo e receber um impulso maior no encontro com a felicidade. A intenção é que a leitura proporcione questionar-se diant…

Mayck & Lyan se apresentam na Fazendinha em Ribeirão Preto

“Um Pé na Roça e outro na Cidade”
Afinal, Sertanejos ou Caipiras? Quando se trata dessa dupla, isso não faz a menor diferença, pois ambos têm os pés plantados no chão do interior brasileiro, onde sempre pulsa uma alma caipira, aquela de dez cordas, que fez a fama de grandes músicos como Tião Carreiro & Pardinho. Com um repertório que vai de moderna música sertaneja aos clássicos da viola caipira, Mayck & Lyan compõem, arranjam e interpretam uma fileira de sucessos que sempre fazem o público vibrar.

Lyan sempre teve um enorme fascínio por violas. “Ele não podia ver alguém tocando que ficava com os olhos fixos no instrumento. Ele ganhou uma viola aos onze anos e rapidamente aprendeu a tocar”, diz o pai Wilson Meira. Aprendeu a tocar é pouco. Atualmente, Lyan é considerado um dos maiores violeiros da nova geração.

Mayck é dono de registro vocal raro, grave e aveludado, na contramão dos cantores sertanejos que se apresentam por aí. Juntos, a dupla vem conquistando desde o público …

Fred e Gustavo e Luan Santana juntos

Fred e Gustavo lançou na ultima sexta (31) ,clipe da música “Velocidade do esquecimento”, com participação especial de Luan Santana. Além de disponibilizar o vídeo no youtube, este também será o novo trabalho nas rádios do Brasil e em todas as plataformas digitais de download.
Os artistas decidiram gravar o clipe em São Paulo e convidar Luan para participar, além de serem amigos, consideram que o ele é um dos nomes mais importantes da música na atualidade, além de humilde, tem tudo a ver com a canção. “Esse é um projeto objetivo, despojado e tem uma pegada pop, que, com certeza, vai conquistar o público.”, diz Luan Santana.
“Logo que ouvimos a música pensamos: ‘Isto ficou a cara do Luan!’ E quando fizemos o convite, ele topou na hora, com muito entusiasmo”, conta Fred. “Velocidade do esquecimento” é composição do Douglas Cezar e a faixa foi produzida por Felipe Arná, já o clipe teve direção de vídeo da A21 Films e direção geral da ArtinVox.
"O projeto é diferente de tudo que já …